Quem precisa de arquitetos se tudo está indo para a nuvem?

postado em 28 de abr. de 2020 07:25 por Antonio Plais   [ 28 de abr. de 2020 09:14 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente postado por Remco Blom* no blog da BiZZdesign. Tradução, adaptação e reprodução autorizados.

A corrida em direção à computação em nuvem fez com que as expectativas se elevassem. Qual é o papel do Departamento de TI, como um todo, nesse novo ambiente? E qual é o papel de um arquiteto em particular? Nesta postagem, nos apresentamos algumas ideias a respeito baseadas nas nossas experiências em clientes ao redor do mundo.

A Arquitetura continua relevante

Existem várias razões para que a arquitetura continue sendo relevante neste novo mundo, onde boa parte das funcionalidades que suportam o negócio serão deslocadas para a nuvem.
  1. Não existe uma solução em nuvem que resolva todos os nossos problemas. Muitas funcionalidades que são específicas da nossa empresa não estão disponíveis na nuvem, e terão que ser desenvolvidas internamente.
  2. Mudanças nos negócios sempre terão impacto nos processos, fluxos de informação e necessidades de informação. Alguém tem que analisar o impacto e guiar as mudanças.
  3. A organização continuará responsabilizável pelos produtos e serviços que ela oferece para os seus clientes Desta forma, a arquitetura do negócio continuará mantendo a sua relevância. Mesmo que você, eventualmente, terceirize tudo, a manutenção da qualidade e da coesão dos serviços terceirizados será um tópico onde os arquitetos têm uma grande contribuição a oferecer
  4. Sua organização continuará dependendo de alguma infraestrutura interna. Conectividade e estações de trabalho são o mínimo que todas as empresas precisarão manter no futuro.
Assim sendo, nós esperamos que a arquitetura continuará sendo uma disciplina relevante... mas, com certeza, ela mudará!

Diferentes tipos de arquitetos

Nós prevemos que três tipos de arquiteto terão um lugar garantido em um mundo onde a computação na nuvem será uma commodity.

Primeiro, arquitetos orientados para construção. Estes "super-desenhistas" entendem os sistemas no seu contexto e sabem como os aplicativos são interdependentes com a tecnologia. Esses arquitetos provavelmente serão menos empregados em organizações finais do que acontece hoje, e mais em fornecedores de tecnologia (de nuvem).

Segundo, arquitetos orientados para integração. Estes serão empregados por integradores de sistemas e grandes organizações usuárias. A integração de todas as soluções _aaS (PaaS, SaaS, CaaS etc.) selecionadas e em uso na organização será uma atividade importante. Segurança, continuidade do negócio e gerenciamento de dados (e.g. reporte) através de toda a cadeia de serviços conectados se tornará um desafio cada vez maior em um mundo "na nuvem".

E terceiro, arquitetos orientados para o negócio. Eles terão um papel ainda mais proeminente para definir as necessidades do negócio e traduzir as possibilidades que os novos aplicativos trazem para o negócio. Entender o modelo de negócio, as metas do negócio e os processos de negócio serão os desafios principais destes arquitetos de negócio, empregados principalmente nas organizações usuárias.

E você, o que acha? Quais são os aspectos que você acha relevantes para os arquitetos no novo mundo em nuvem? Quais as competências e responsabilidades que eles terão e que terão impacto significativo na sua forma de trabalho? Como "vender" o valor da arquitetura em um ambiente multifacetado e desintegrado, quando a organização precisa manter o controle sobre a coerência a a consistência dos serviços e informações que ela fornece e usa?


*Remco Blom é consultor sênior e especialista em melhoria de processos e segurança da informação na BiZZdesign



 http://bizzdesign.centus.com.br/biblioteca/ebooks/archimate-da-teoria-a-pratica
eBook ArchiMate - Da Teoria à Prática

Inovação, regulações em constante mudança, novas possibilidades tecnológicas, uma nova direção estratégica; estas são algumas das razões pelas quais muitas organizações estão em constante movimento. 

Este livro apresenta as melhores práticas dos autores, fruto da experiência do uso da linguagem ArchiMate em dezenas de projetos reais, em clientes dos mais diversos ramos de negócio. Uma leitura fundamental para quem quer se iniciar na prática da modelagem da arquitetura corporativa. 

Solicite sua cópia GRÁTIS aqui