A Caixa de Ferramentas do Arquiteto de Negócios: Mapeamento da Organização

postado em 6 de ago de 2018 07:14 por Antonio Plais   [ 6 de ago de 2018 11:16 atualizado‎(s)‎ ]

Originalmente postado por Marc Lankhorst*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

Como discutido na introdução desta série de postagens, a maturação da disciplina da arquitetura de negócio torna o papel do suporte baseado em modelos para o desenho, análise e tomada de decisão cada vez mais importante. Assim sendo, nós introduzimos várias técnicas úteis para a modelagem da arquitetura de negócios e como elas são suportadas pelo Enterprise Studio. Nesta postagem, discutiremos uma abordagem para modelar um mapa de um dos domínios centrais da arquitetura de negócio: a Organização.

Mapas de Negócio

Mapas de negócio são representações abstratas da realidade que representam uma ampla variedade de pontos de vista. Eles permitem que as organizações visualizem seus negócios a partir de diferentes perspectivas, fornecendo à gerência informações sobre um determinado aspecto do negócio dentro de um contexto específico. Ao fazer isso, mapas de negócio proporcionam transparência que habilita e facilita a transformação de negócio e a mudança através das unidades de negócio, capacidades e partes interessadas.

Existem quatro domínios centrais na arquitetura de negócio: Capacidades, Fluxos de Valor, Organização e Informação. Para cada um destes domínios o BIZBOK Guide® sugere uma abordagem para criar mapas de negócio apropriados. Nas postagens anteriores nós já discutimos Capacidades e Fluxos de Valor. Nesta postagem vamos elaborar sobre a criação de uma mapa de negócio para o domínio da Organização: Mapeamento da Organização.

Mapeamento da Organização

Para o Mapeamento da Organização, o BIZBOK usa a 'unidade organizacional' como conceito central, com um amplo significado, declarando: "A interpretação do que compõe uma unidade de negócio é basicamente deixada a critério da equipe de mapeamento, desde que ela reflita um conceito organizacional." Isto requer flexibilidade nos conceitos de modelagem usados para criar mapas da organização. Felizmente, os conceitos relevantes da linguagem ArchiMate fornecem esta flexibilidade (veja abaixo).

Mais ainda, um mapa da organização vai além do tradicional organograma hierárquico ao mostrar relacionamentos e colaborações internos e externos a partir da perspectiva da unidade ou entidade de negócio. Um mapa da organização é um mapa de negócio que mostra unidades de negócio, decomposição organizacional e outros tipos de relacionamentos orientados para o negócio. A diferença em relação aos modelos hierárquicos do negócio tradicionais é que modelos hierárquicos não facilitam uma representação acurada dos relacionamentos horizontais e tradicionalmente focam nas estruturas de reporte em contraposição ao alinhamento organizacional.

O 'mapa da organização básico' proposto no BIZBOK Guide® é construído a partir do exame e documentação das unidades de negócio e da decomposição das unidades de negócio através da organização. Ele consiste de dois conceitos básicos: empresa e unidade de negócio. Existe apenas um relacionamento: "decompõe em".


Fonte: BIZBOK Guide® 5.5 p.116, Figure 2.3.5: Basic Organization Map

Nós preferimos usar a semântica formal do ArchiMate para modelar relacionamentos diretos entre cada instância de um domínio da arquitetura de negócio. Traduzindo o 'mapa da organização básico' do BIZBOK para o ArchiMate, nós propomos:
  • usar o conceito 'Ator de Negócio' para representar uma Unidade de Negócio (e suas possíveis sub-unidades) bem como a Empresa como um todo
  • usar o relacionamento de 'Composição' para representar o relacionamento ' Decomposto em'

Fazendo isso, o 'mapa da organização básico' se pareceria com a figura abaixo, tendo a 'ABC Insurance' como a Empresa:



O modelo a seguir é um exemplo de uma representação diferente de uma estrutura da organização, como menos foco na hierarquia, mas ainda assim mostrando apenas uma empresa (a Archisurance) e suas unidades de negócio:



Os mapas de organização básicos mostrados acima são fáceis de construir e entender, mas eles não são a única coisa que você pode querer para modelar um mapeamento do organização.

Estrutura organizacional vs papéis e responsabilidades

A estrutura da organização compreende mais do que apenas a hierarquia. Você pode querer modelar as responsabilidades das unidades de negócio, departamentos e outros atores organizacionais, algumas vezes descendo até o nível de, por exemplo, as responsabilidades gerenciais dos indivíduos. O BIZBOK não endereça este aspecto do mapeamento da organização mas, na prática, o conhecimento a respeito das responsabilidades da gerência é essencial em qualquer iniciativa de arquitetura de negócio. O conceito apropriado para isso no ArchiMate é o 'Papel de Negócio', definido como "a responsabilidade por desempenhar um comportamento específico, ao qual um ator pode ser atribuído, ou a parte que um ator desempenha em uma ação ou evento em particular."


Usar este conceito permite que você modele a estrutura de governança da empresa, o que é, naturalmente, essencial em qualquer iniciativa de mudança ou transformação. A mudança deve ser conduzida e realizada pelos gerentes responsáveis, e a sua abordagem de gerenciamento de mudança depende criticamente desta estrutura de governança. Mas ainda, a estrutura de governança em si pode estar sujeita a mudanças. E existem muitas outras razões para modelar suas responsabilidades. Tome, por exemplo, a conformidade regulatória, que impõe regras estritas sobre estruturas de responsabilização, governança e reporte.

Mapeamentos cruzados

Você pode, ainda, usar estes conceitos de Ator de Negócio e Papel de Negócio em combinação com outros conceitos do ArchiMate para criar mapas cruzados com outras partes do seu modelo de arquitetura de negócio. Por exemplo, você pode mapear os atores ou papéis de negócio para as funções ou processos de negócio, criando matrizes que mostram quem é responsável por quais atividades na empresa. Veja, por exemplo, o seguinte mapeamento cruzado Ator - Função:



Outros mapeamentos interessantes que você pode modelar usando o ArchiMate incluem:
  • as capacidades que são realizadas pelas unidades de negócio
  • em que locais estas unidades de negócio estão localizadas
  • quais são os fluxos de valor entre as unidades de negócio
  • quais princípios e políticas se aplicam a quais unidades de negócio
Como você pode ver, mapas da organização são uma fundação importante para muitos aspectos da sua arquitetura de negócio. Os conceitos do ArchiMate e sua implementação no Enterprise Studio são uma excelente ferramenta para suportar isso. Na nossa próxima postagem, vamos elaborar a quarta perna da arquitetura corporativa: o mapeamento de informações.



* Mark Lankhorst é Gerente de Consultoria & Evangelista-Chefe de Tecnologia da BiZZdesign, empresa líder em ferramentas para modelagem da arquitetura corporativa, representada no Brasil pela Centus Consultoria.