Como modelos corporativos contribuem para o sucesso de fusões, aquisições e desinvestimento

postado em 5 de jun de 2017 14:39 por Antonio Plais   [ 8 de jun de 2017 10:57 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente publicado por Marc Lankhorst* no Blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

As organizações envolvidas em grandes mudanças estratégicas, como fusões, aquisições e desinvestimentos, em geral focam principalmente nos aspectos financeiros e de mercado para a mudança. Qual é o impacto na sua participação de mercado? Como você pode aumentar o poder de compra sobre os seus fornecedores? Quais reduções de custos podem ser realizadas através da exploração de sinergias? Problemas organizacionais e de recursos humanos também ocupam o topo da lista de preocupações dos executivos envolvidos.

No entanto, a integração nos níveis mais operacionais geralmente só é considerada bem mais tarde no processo. Os líderes de negócio precisam garantir a efetiva colaboração entre as partes interessadas através da organização, de forma que eles possam obter as percepções necessárias e melhorar a qualidade e a velocidade da tomada de decisões.

Desafios a resolver durante uma fusão ou aquisição

Combinar processos de negócio e sistemas de TI de diferentes empresas é complicado. Isto requer responder a perguntas como:
  • Quais capacidades da empresa alvo da incorporação são diferenciadoras, e quais são comuns e se sobrepõem às nossas próprias?
  • Quais são as sinergias potenciais entre os diferentes portfólios de produtos?
  • Como podemos consolidar os sistemas e reduzir o débito técnico?
  • Como podemos identificar as melhores práticas para nossos processos de negócio?

Desafios a resolver durante um desinvestimento

Em situações de desinvestimento, encontramos perguntas como:
  • Quais são os processos de negócio e sistemas de TI essenciais, e quais são redundantes?
  • Quais dependências no nosso negócio e panorama de TI são particularmente críticos ao vender parte da empresa para outra organização?
  • Como podemos definir claramente nosso futuro estado de negócios e de TI, após desinvestir parte do nosso negócio? Quais lacunas nós teremos que preencher agora?
  • Quais partes precisam ser duplicadas, porque são críticas tanto para a organização que está desinvestindo como para a empresa adquirente?
  • Como lidar com os dados envolvidos? O que deve ser transferido e o que deve ser mantido?

Como modelos ajudam a responder a estas questões?

Para suportar as organizações em tais situações complexas, modelos são um instrumento fundamental.
  • Modelos são mais do que figuras bonitas
Modelos fornecem informação precisa, bem definida e sem ambiguidade. Modelos podem ser verificados, visualizados, analisados, gerenciados, integrados, transformados, interpretados, e, muitas vezes, até executados.
  • Modelos podem ser usados em diferentes áreas de negócio e de tecnologia
As organizações usam diferentes tipos de modelos para os diferentes estágios de uma fusão, aquisição ou desinvestimento, tais como mapas de estratégia, diagramas de processo, visões de arquitetura, estruturas de composição de produtos, e organogramas.
  • Modelos permitem que você analise todos os relacionamentos entre as suas capacidades, produtos, processos, pessoas e sistemas
Modelos fornecem informações sobre como estas dependências conectam tudo desde a estratégia até as operações. Desta forma você pode, por exemplo, ver qual a contribuição de algum projeto de TI para a estratégia global do negócio, através de seus entregáveis, os aplicativos que ele afeta, os processos de negócio e produtos suportados por estes aplicativos, e as metas de negócio que eles ajudam a realizar.
  • Modelos suportam a tomada de decisões baseada em fatos
Modelos podem integrar dados de várias fontes, garantir a sua consistência, e fornecer entradas cruciais para a tomada de decisões bem fundamentada. Relacionar, por exemplo, dados financeiros com a informação estrutural obtida em um modelo de arquitetura é crucial para o cálculo das economias potenciais em um projeto de consolidação de TI, fornecendo dados muito melhores que simples estimativas grosseiras baseadas apenas em dados financeiros, sem levar em conta as dependências na sua arquitetura que podem impedir mesmo as mais simples soluções.
  • Modelos ajudam você a analisar o impacto das mudanças antes que você as aplique
Usar modelos para avaliar as conexões e dependências entre os vários aspectos e elementos da sua empresa é de grande ajuda para entender os efeitos, riscos e benefícios das mudanças. Fazer isto antes de entrar em uma fusão ou desinvestimento ajuda a mitigar os riscos associados com estas transformações de grande impacto.

Muitos destes aspectos são mostrados na figura abaixo, onde vemos um mapa de capacidades (simplificado) de uma empresa de seguros logo após uma fusão. Ele é usado para realçar onde o panorama de aplicativos subjacente que suporta estas capacidades exibe ineficiências, tais como duplicações. Desta forma, a direção pode rapidamente identificar onde concentrar sua atenção e quais capacidades podem ser afetadas por um esforço de consolidação de aplicativos.


Naturalmente, o uso de modelos requer um sólido suporte de ferramentas. A plataforma única BiZZdesign Enterprise Studio fornece suporte para a modelagem e análise através das diversas disciplinas envolvidas, indo desde o desenvolvimento da estratégia e do gerenciamento de portfólios até o gerenciamento da arquitetura, processos e dados. Isto permite que você tenha uma visão integrada da sua fusão, aquisição ou desinvestimento, com uma linha de visão clara desde a direção estratégica e o modelo de negócio da organização, através da sua arquitetura e desenho, até a priorização das suas iniciativas de mudança.

Benefícios para as Partes Interessadas

O uso de modelos pode beneficiar todas as partes interessadas, incluindo os tomadores de decisão no nível executivo; gerentes de unidades de negócio; gerentes de portfólio, programas e projetos; arquitetos e desenhistas; e mesmo aquelas envolvidas nas operações diárias. Elas podem ter suas próprias visões sobre as mudanças envolvidas, onde o Enterprise Studio apresenta aqueles aspectos relevantes para o seu trabalho de uma forma bastante amigável. Todas estas visões são baseadas em uma única fonte da verdade, garantindo a consistência e a transparência.

Os benefícios desta abordagem são claros:
  • Os acionistas vêm reduzido o tempo-para-o-valor de uma fusão através da exploração mais rápida das sinergias
  • A direção está no controle e tem os fatos necessários para decidir sobre custos, benefícios e riscos de uma aquisição, fusão ou desinvestimento
  • Os arquitetos e desenhistas têm a informação necessária para reduzir a complexidade e aumentar a sinergia
  • Gerentes de portfólio podem estabelecer as prioridades com base em dados acurados sobre custo, valor e risco
  • Gerentes de programas e projetos têm um escopo claro e sabem como as iniciativas pelas quais eles são responsáveis são interdependentes com outras iniciativas
  • Gerentes de operação sabem o que é crítico para o negócio e podem mitigar os riscos operacionais
  • Gerentes de risco e conformidade podem garantir que a empresa resultante atenda aos requisitos regulatórios internos e externos
Saiba mais como o BiZZdesign Enterprise Studio pode ajudá-lo a completar com sucesso uma fusão, aquisição ou desinvestimento, solicitando um contato ou uma demonstração.


Acelere as mudanças e fique no controle

https://sites.google.com/a/centus.com.br/bizzdesign/biblioteca/ebooks/empresa_adaptativa


Descubra o que é necessário para construir capacidades de mudança fortes enquanto gerencia orçamentos, riscos e conformidade

Saiba mais sobre a Empresa Adaptativa clicando aqui


* Mark Lankhorst é Gerente de Consultoria & Evangelista-Chefe de Tecnologia da BiZZdesign, empresa líder em ferramentas para modelagem da arquitetura corporativa, representada no Brasil pela Centus Consultoria.