Lean e Arquitetura Corporativa: os Opostos se Atraem

postado em 7 de out de 2018 05:59 por Antonio Plais   [ 7 de out de 2018 06:04 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente postado por Marc Lankhorst e Peter Matthijssen*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

Ao longo das últimas décadas, o Gerenciamento Lean se provou ser muito poderoso na melhoria do desempenho dos processos de negócio da organização. Ao mesmo tempo, a Arquitetura Corporativa surgiu como uma disciplina para controlar a complexidade das organizações, seus processos, informações e TI. A primeira vista, as duas abordagens parecem ser de natureza bem diferentes. Onde o Lean enfatiza a ação local, ciclos rápidos de aprendizagem e melhoria de baixo para cima feita por aqueles que realmente fazem o trabalho (o quadrante em baixo à esquerda na figura abaixo), a arquitetura corporativa foca na coerência através de toda a empresa, transformações de negócio de longo prazo e em traduzir a estratégia nas operações (acima à direita na figura).


A Arquitetura Corporativa é geralmente associada com processos tradicionais de TI, os quais são o oposto do Lean, com longos tempos de entrega e burocracia desnecessária. Por outro lado, os projetos Lean são geralmente associados com simples otimizações locais que não conseguem ver o panorama geral e perdem ganhos substanciais que podem ser obtidos através da redefinição do negócio e da TI em um nível mais fundamental.

Estas diferenças tanto em escopo como em abordagem podem sugerir que o Lean e a Arquitetura Corporativa não têm nada a ver um com o outro. No entanto, o Lean e a Arquitetura Corporativa compartilham um objetivo: melhorar o desempenho organizacional. Onde o Lean é focado em 'fazer o trabalho um pouco melhor a cada dia', a Arquitetura Corporativa tem um tempo mais longo, para entender e agir sobre grandes movimentos dos processos, tecnologia e contexto. Mas, eventualmente, nós naturalmente queremos as duas coisas. Independentemente de quão grande a diferença entre o Lean e a Arquitetura Corporativa pareça ser, nós acreditamos que as duas disciplinas podem ser combinadas de forma muito proveitosa.

O que nós vemos é que muitas práticas de Arquitetura Corporativa se perdem ao observar e analisar o panorama geral. Uma Arquitetura Corporativa de sucesso requer uma forte conexão com o trabalho diário, com os projetos e as pessoas. Isto é o que o Lean proporciona. Por outro lado, vemos projetos Lean falharem quando a TI representa um papel crucial (o que é quase sempre, certo?) no problema ou na sua solução. Na nossa opinião, um relacionamento forte entre o Lean e a Arquitetura Corporativa, com uma linguagem comum e boas discussões, poderia ser muito poderoso.

Nesta pequena série de postagens, mostraremos como o foco do Lean na eliminação de desperdícios e na criação de valor pode ser aplicado aos processos e produtos de arquitetura corporativa. Também vamos explorar como a Arquitetura Corporativa pode ser usada para desenhar e implementar processos de negócio Lean de uma maneira coerente. Pelas nossas experiências como desenvolvedores do padrão ArchiMate e como black-belt Lean Six Sigma, respectivamente, vamos discutir as formas como as duas disciplinas podem se complementar e se fortalecer.

Na próxima postagem desta série: Os Sete Desperdícios Mortais nas Arquiteturas Corporativas



* Mark Lankhorst é Gerente de Consultoria & Evangelista-Chefe de Tecnologia, e Peter Matthijssen é Diretor de Tecnologia, da BiZZdesign, empresa líder em ferramentas para modelagem da arquitetura corporativa, representada no Brasil pela Centus Consultoria.