Entregando Valor de Negócio Rapidamente com TOGAF

postado em 26 de dez de 2018 05:31 por Antonio Plais   [ 26 de dez de 2018 05:39 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente postado por Marc Lankhorst*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

O TOGAF (The Open Group Architecture Framework) é o mais popular framework para desenvolver uma arquitetura corporativa. Ele é um padrão aberto e pode ser usado livremente por qualquer organização que deseje desenvolver uma arquitetura corporativa para uso interno na organização. A Centus e a BiZZdesign acreditam que uma abordagem de arquitetura corporativa deve ser baseada em padrões e frameworks abertos. Nós combinamos e pré-empacotamos frameworks e padrões como o TOGAF e o ArchiMate na nossa ferramenta, o BiZZdesign Enterprise Studio, para uma abordagem acelerada para iniciar os programas de arquitetura corporativa dos nossos clientes. Nesta postagem, nós explicamos como nós usamos o framework TOGAF, aplicando-o na prática, com o objetivo de fazer uma arquitetura orientada para resultados de negócio.

A Estratégia de Negócio como Ponto de Partida

Antes de começar a um framework como o TOGAF, você precisa olhar para a sua estratégia de negócio: o ponto de partida para uma prática de arquitetura corporativa orientada para resultados de negócio é entender a sua estratégia e direção. A sua estratégia de negócio deveria, naturalmente, orientar as escolhas que você faz durante o desenvolvimento da sua arquitetura corporativa. Mais ainda, a estratégia deveria ter, também, um impacto sobre os métodos e técnicas que você usa para criar esta arquitetura, e, por conseguinte, no uso e adaptação de frameworks como o TOGAF. Por exemplo, uma estratégia que consiste de inovação e adoção precoce de novas tecnologias requer frameworks de arquitetura corporativa mais ágeis e flexíveis. Por outro lado, uma estratégia que foca na consolidação e na prevenção de riscos requer um framework de arquitetura corporativa com estruturas e políticas claras de governança. Este tipo de consideração deve ser levado em conta ao personalizar o framework TOGAF para a sua organização.

Adaptando o Framework

Tendo a direção e a estratégia de negócio como base, você pode pensar sobre como o TOGAF pode ser aplicado na sua organização e quais os resultados que você espera atingir com ele. O TOGAF é um framework bastante extenso e genérico, e é muito importante especificar quais os elementos do TOGAF são úteis no contexto da sua organização e quais não são relevantes.
O Método de Desenvolvimento da Arquitetura (ADM). Adaptado de: The Open Group, TOGAF 9.1

O TOGAF em si reconhece isso: o primeiro passo no Método de Desenvolvimento da Arquitetura (ADM-Architecture Development Method) do TOGAF é a Fase Preliminar. Esta fase diz respeito a definir "onde, o que, por que, quem e como nós faremos arquitetura" na empresa em foco (TOGAF 9.1, Seção 6.2). Em outras palavras: você vai adaptar o framework TOGAF e personalizá-lo de acordo com os requisitos da sua organização.

No entanto, isso não é tão fácil como possa parecer. O TOGAF sugere vários passos nesta Fase Preliminar que fazem todo o sentido, mas a abordagem ainda é bastante genérica. As organizações podem, assim, acabar presas nesta fase, gerando muita discussão mas muito pouco resultado. Para obter resultados de valor desta fase, nós aplicamos princípios do gerenciamento Lean ao processo de arquitetura: examinar todas as atividades e resultados em relação ao resultado que eles adicionam e eliminar todo o desperdício, evitar aprovações desnecessárias que causam atrasos, e melhorar continuamente nossa forma de trabalho. Na nossa experiência, é importante manter o foco em três aspectos:
  1. Usar um conjunto limitado de entregáveis de arquitetura corporativa: o TOGAF sugere vários entregáveis que podem ser produzidos nas suas várias fases. Na nossa experiência, 'menos é mais': apenas alguns entregáveis importantes já são suficientes para começar uma iniciativa de arquitetura corporativa e obter resultados rapidamente.
  2. Para selecionar e configurar estes entregáveis principais, o critério mais importante é o seu valor potencial de negócio. Quem vai usá-los, para quais atividades e com qual benefício esperado? Especialmente nas fases iniciais de uma iniciativa de arquitetura corporativa, é crucial mostrar para as várias partes interessadas (incluindo as partes interessadas do negócio) o valor adicionados dos entregáveis de arquitetura corporativa.
  3. Aprender fazendo. É impossível definir um framework completo de arquitetura corporativa antes de começar, e usá-lo, através de uma abordagem em cascata. É melhor começar pequeno, adotar uma abordagem iterativa, aprender e melhorar sua forma de trabalhar na medida em que você avança.

O Apoio do Programa de Iniciação Rápida

Para suportar as organizações a se concentrar nos três aspectos descritos acima, enquanto executam a Fase Preliminar do TOGAF, nós geralmente usamos um ciclo de oficinas. Isso consiste de uma série de oficinas compactas nas quais os principais elementos do framework TOGAF são discutidos e adaptados. Cada oficina  tem um conjunto de resultados e decisões concretos. Os tópicos que são discutidos podem ser categorizados em três grupos:
  1. Iniciar (Planejar): diz respeito a estabelecer metas e definir o papel da arquitetura corporativa, e definir os produtos e entregáveis da iniciativa. O que queremos atingir e o que precisamos para chegar lá?
  2. Implementar (Desenhar): discute a governança da arquitetura e as convenções de modelagem. Quem está envolvido neste esforço e como vamos descrever a arquitetura?
  3. Trabalhar a Arquitetura Corporativa (Construir & Rodar): os primeiros entregáveis de arquitetura corporativa (por exemplo, os princípios de arquitetura, requisitos principais, visão da arquitetura) são criados como ponto de partida para rodar o primeiro ciclo ADM.
Este ciclo pode ser, ainda, aumentado com oficinas sobre outros tópicos, tais como o (re)uso de material arquitetural existente, o gerenciamento dos requisitos da arquitetura, ou o relacionamento com outras disciplinas, como o gerenciamento do portfólio de projetos. Isso ajuda você a passar por todas as fases do processo do ADM e rapidamente completar a primeira iteração do ciclo.

Este ciclo de oficinas pode ser completado em poucas semanas, acelerando a sua iniciativa de introdução da arquitetura corporativa na sua organização. Todas as partes interessadas são envolvidas e a rapidez necessária para este programa acelerado cria uma atmosfera dinâmica que ajuda a entregar rapidamente valor de negócio real.

Para saber mais sobre o Programa de Iniciação Rápida e como as abordagens e ferramentas da BiZZdesign e da Centus podem ajudá-lo, entre em contato conosco.

* Mark Lankhorst é Gerente de Consultoria & Evangelista-Chefe de Tecnologia da BiZZdesign, empresa líder em ferramentas para modelagem da arquitetura corporativa, representada no Brasil pela Centus Consultoria.


eBook A Prática da Arquitetura Corporativa


Para saber mais como a Arquitetura Corporativa pode ajudar a sua organização a vencer os desafios de um mercado cada vez mais exigente, baixe o eBook A Prática da Arquitetura Corporativa, um oferecimento da BiZZdesign e Centus Consultoria.