Combinando o ArchiMate 3.0 com Outros Padrões - UML / SysML / ERD

postado em 21 de jan de 2019 16:58 por Antonio Plais   [ 22 de jan de 2019 02:50 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente postado por Marc Lankhorst*, no blog da BiZZdesign - Tradução autorizada

Como declaramos na introdução desta série de postagens, modelos ArchiMate podem ser combinados de forma muito útil com modelos em outras técnicas, para entrar em aspectos específicos da sua empresa. Se estes modelos são ligados em um modelo geral da arquitetura corporativa no ArchiMate, pode ser construído um modelo integrado da empresa que relaciona os (sub)modelos de domínios anteriormente separados de uma forma significativa.

Modelo de arquitetura corporativa como um pivô entre os outros modelos

Em nossas postagens anteriores, nós já discutimos o relacionamento da linguagem ArchiMate com o Modelo de Motivação de Negócio (BMM-Business Motivation Model), os Indicadores Balanceados de Desempenho (BS-Balanced Scorecard), o Canvas do Modelo de Negócio (BMC-Business Model Canvas) e com o BPMN. Nesta última postagem desta série, vamos elaborar como o ArchiMate 3.0 pode se relacionar com linguagens como UML, SysML e ERD. As tabelas abaixo fornecem um mapeamento aproximado entre os conceitos do ArchiMate e os conceitos destas técnicas. Nós terminaremos esta postagem mostrando alguns exemplos de como o BiZZdesign Enterprise Studio suporta isto.

UML

A UML (Unified Modeling Language) é o padrão de fato para a modelagem de software. Vários conceitos no ArchiMate foram fortemente inspirados pela UML. O mais óbvio é o conceito de componente de aplicativo, que corresponde ao componentet UML. Os elementos nó, artefato, dispositivo, software de sistema e caminho também foram (mais ou menos) tirados da UML (onde software de sistema é chamado de ambiente de execução). Essa ligação próxima facilita uma cadeia contínua de desenvolvimento, entre os modelos de alto nível da arquitetura corporativa, descritos na notação ArchiMate, e os modelos de implementação e arquitetura de solução de baixo nível na notação UML.

 ARCHIMATE  UML
 Ator de Negócio, Papel de Negócio  Ator
 Requisito + Serviço  Caso de Uso
 Componente de Aplicativo  Componente
 Objeto de Negócio, Objeto de Dados  Classe
 Colaboração de Aplicativo  Colaboração
 Nó, Dispositivo, Software de Sistema  Nó, Dispositivo, Ambiente de Execução
 Artefato  Artefato
 Interface + Serviço de Aplicativo  Interface
 Agregação, Composição, Especialização  Agregação, Composição, Generalização

Existem, também, algumas diferenças importantes entre os dois. O relacionamento de servidão do ArchiMate, embora superficialmente similar em notação, é semanticamente diferente da dependência na UML, e geralmente aponta na direção oposta. Uma dependência UML é usada para modelar, por exemplo, chamadas de função em programas de software. No nível arquitetural no qual a linguagem ArchiMate é usada, detalhes operacionais de tempo de execução, tais como gráficos de chamadas, são menos importantes do que o noção mais genérica e estável do fornecimento de serviço. No ArchiMate, a direção do relacionamento de servidão, desta forma, significa a direção da entrega do serviço, independente do fato do serviço ser chamado pelo consumidor ou ser oferecido proativamente pelo fornecedor.

Isso também aponta para outra diferença importante: a UML não tem um conceito separado de serviço, uma vez que no seu paradigma orientado para objeto o comportamento expresso por um serviço é encapsulado através (das operações) de uma interface. A linguagem ArchiMate diferencia entre interfaces e os serviços que elas fornecem, para especificar que um mesmo serviço é oferecido através de múltiplas interfaces. Assim, a interface UML corresponde à combinação de um serviço e uma interface de aplicativo.

SysML

A Linguagem de Modelagem de Sistema (SysML-Systems Modeling Language) é um desdobramento da UML para a especificação, análise, desenho, verificação e validação de um amplo leque de sistemas e sistemas-de-sistemas. Ela é menos centrada em software do que a UML, e muito menor e mais fácil de aprender (embora os diagramas possam se tornar bastante complicados). Quando desenhando sistemas físicos (ou sistemas com partes físicas), a SysML pode ser adequada como uma linguagem para desenhos mais detalhados, em um contexto onde o ArchiMate é usado para o nível de abstração da arquitetura.

 ARCHIMATE  SysML
 Elemento de Estrutura Ativa (e.g. Componente de   Aplicativo), Ator de Negócio, Dispositivo, Equipamento,   Instalação  Bloco
 Requisito, Restrição  Requisito
 Serviço + Interface  Porta
 Função, Processo  Atividade

Modelo Entidade-Relacionamento

Um dos mais antigos tipos de técnica de modelagem em TIC é o modelo de entidade-relacionamento (ER). Um modelo ER engloba tipos de entidades, que classificam as coisas de interesse, e relacionamentos específicos entre as instâncias destes tipos. Existem várias técnicas para mostrar modelos ER através de diagramas ER, e uma das populares é a chamada notação pé-de-galinha.

Modelos ER são em geral usados na modelagem de dados, em particular no desenho de bancos de dados relacionais. Assim sendo, eles mapeiam quase naturalmente para os conceitos de estrutura passiva do ArchiMate, como mostrado na tabela a seguir. Atributos, chaves ou instâncias de entidades não deveriam ser, tipicamente, modelados no Archimate, uma vez que isso é usualmente muito detalhados para o nível de abstração da arquitetura corporativa. Pela mesma razão, o ArchiMate não suporta a cardinalidade dos relacionamentos. 
 
 ARCHIMATE  SysML
 Objeto de Negócio, Significado  Entidade (Conceitual)
 Objeto de Dados  Entidade (Lógica)
 Artefato  Entidade (Física)
 Associação (com etiqueta)  Relacionamento

ArchiMate, UML e ERD no BiZZdesign Enterprise Studio

No BiZZdesign Enterprise Studio os usuários são capazes de criar modelos ArchiMate 3.0, UML e ERD. Você poderia escolher usar apenas uma linguagem de modelagem, mas você poderia querer usar as diferentes linguagens juntas, para suportar partes interessadas específicas e que têm diferentes necessidades de modelagem. Modelos de dados no ArchiMate podem ser modelados usando conceitos de estrutura passiva, como objetos de negócio e objetos de dados.

Figura 1 Exemplo do uso de objetos de negócio e de dados no ArchiMate

Se for necessário mais detalhes, você poderia escolher fazer diagramas de classe UML mais detalhados dos objetos de negócio e de dados definidos no ArchiMate.

Figura 2 Exemplo de diagrama de Classe UML

Se você é fã do Diagrama de Entidade-Relacionamento (ERD) você poderia escolher ERD ao invés da UML para sua modelagem de dados (Figura 3).

 
Figura 3 Modelagem ERD

O BiZZdesign Enterprise Studio é capaz de suportar todos estes diferentes tipos de modelos. Seja escolhendo apenas uma linguagem, ou usando múltiplas linguagens como ArchiMate, BPMN e UML, por exemplo, você verá que construir modelos ajudará você a entender melhor o seu negócio, e que o BiZZdesign Enterprise Studio pode acomodar todas as suas necessidades de modelagem.

Para saber mais sobre como o BiZZdesign Enterprise Studio e como ele pode ajudar a integrar todas as suas necessidades de modelagem, entre em contato com a Centus Consultoria e agende uma demonstração.


* Mark Lankhorst é Gerente de Consultoria & Evangelista-Chefe de Tecnologia da BiZZdesign, empresa líder em ferramentas para modelagem da arquitetura corporativa, representada no Brasil pela Centus Consultoria.



 http://bizzdesign.centus.com.br/biblioteca/ebooks/archimate-da-teoria-a-pratica
eBook ArchiMate - Da Teoria à Prática

Inovação, regulações em constante mudança, novas possibilidades tecnológicas, uma nova direção estratégica; estas são algumas das razões pelas quais muitas organizações estão em constante movimento. 

Este livro apresenta as melhores práticas dos autores, fruto da experiência do uso da linguagem ArchiMate em dezenas de projetos reais, em clientes dos mais diversos ramos de negócio. Uma leitura fundamental para quem quer se iniciar na prática da modelagem da arquitetura corporativa. 

Solicite sua cópia GRÁTIS aqui