Arquitetura Corporativa para Tomadores de Decisão: Sete Conselhos

postado em 21 de mai. de 2019 04:35 por Antonio Plais   [ 21 de mai. de 2019 04:40 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente postado por Remco Blom* no blog da BiZZdesign. Tradução, adaptação e reprodução autorizados.

A maioria dos arquitetos corporativos acredita que a Arquitetura Corporativa é uma disciplina relevante para os membros da Diretoria. No entanto, os CxO's geralmente não compartilham desta mesma opinião. Nós acreditamos que isso acontece porque eles normalmente não experimentam o verdadeiro valor da arquitetura. O que os arquitetos podem fazer para melhorar isto? Abaixo, nós apresentamos sete conselhos úteis.

1. Construa ativamente a conscientização

Forneça algum contexto para a sua audiência: conecte as questões arquiteturais com o mundo real. Pessoas, aplicativos, problemas aqui e agora, são mais fáceis de ser compreendidos e mais vívidos do que caixas e linhas abstratas. Os tomadores de decisão dificilmente tomam decisões por si só. Considere-os como uma Unidade de Tomada de Decisão (UTD), e influencie outras UTD's em torno do principal decisor usando mensagens da arquitetura corporativa. Torne isso pessoal. Encontre os executivos em entrevistas, encontros do departamento e em ambientes informais para conhecê-los e investir no relacionamento.

2. Arquitetura Corporativa tem a ver com investimentos

Não foque demais na construção da solução, mas, ao invés disso, posicione a Arquitetura Corporativa próximo do portfólio de investimentos. Seja ativo e ajude no início dos projetos, considere problemas (amplos) de integração e construa a confiança. Você pode trazer o aspecto da qualidade e da agenda de longo prazo para as discussões do portfólio.

3. Apresente problemas concretos e resultados concretos

Ilustre os problemas e as opções com casos de uso reais. "Este é o paciente João, que foi internado devido a um ataque do coração. Nós não conhecemos João, nós não sabemos qual é o seu uso de medicamentos, nós não temos seu eletrocardiograma mais recente. Naturalmente, faremos o que for possível, mas isso é o ideal?". Associe histórias como essa com os problemas que a empresa enfrenta e como a falta de informação (que poderia ser fornecida pela arquitetura) pode prejudicar a sua evolução.

4. Foque nos efeitos da arquitetura, não nos métodos ou na arquitetura em si

Padrões importantes de Arquitetura Corporativa, como TOGAF, ArchiMate, e mesmo BPMN, são realmente importantes para amadurecer a sua prática de arquitetura corporativa. Mas eles não são nem um pouco interessantes para os tomadores de decisão... Apresente cenários, forneça aconselhamento, e deixe os tomadores de decisão fazer o que eles fazer de melhor: tomar decisões.

5. Mostre o dinheiro, o risco e o tempo

A construção da solução atrai muito pouco o interesse dos executivos. A maioria gosta de falar sobre dinheiro (tanto o custo como as receitas potenciais), riscos e velocidade. Você pode mostrar isso como uma camada acima dos seus modelos?

6. Use diagramas simples

Um diagrama complexo, também conhecido como teia de aranha, é muito útil para mostrar como o seu panorama é complexo. Mas não espere que o seu gerente vá se interessar muito por ele. Rascunhos simples, atrativos, começando com uma perspectiva de negócio, têm se provado funcionar muito bem na Diretoria. Nós temos muitos bons exemplos de Modelos de Negócio como pontos iniciais de uma (efetiva) discussão sobre arquitetura corporativa.

7. Faça isso passo-a-passo

Comece sendo orientado para a solução (dos projetos), então evolua para ser orientado para os problemas/resultados (em programas como "racionalização de aplicativos", por exemplo), e mova para ser orientado para a estratégia. Mereça a sua posição, não reclame por ela!

Esperamos que estas dicas possam ajudá-lo a ter mais sucesso para criar a compreensão e o comprometimento da sua organização com a Arquitetura Corporativa. Se sentir necessidade, entre em contato conosco para compartilhar suas dores e conversar sobre como enfrentá-las com sucesso.



*Remco Blom é consultor sênior e especialista em melhoria de processos e segurança da informação na BiZZdesign