ArchiMate na Prática - Demarcando serviços de negócio

postado em 5 de ago de 2016 09:55 por Antonio Plais   [ 5 de ago de 2016 09:55 atualizado‎(s)‎ ]

A questão: quando é aconselhável decompor (ou agregar) um serviço de negócio?

Uma questão recorrente na modelagem da camada de negócios é a identificação do nível de granularidade (demarcação) dos serviços: quando é adequado desagregar um serviço (criando "sub-serviços") ou, de forma similar, quando é aconselhável agregar serviços individuais em um serviço de mais alto nível?

A solução para esta questão

Um serviço de negócio é, por definição, "consumido" por diversos consumidores. Isto implica que um serviço só deve ser decomposto em sub-serviços se estes sub-serviços puderem, também, ser consumidos de forma independente uns dos outros.

Use as seguintes orientações para distinguir um serviço:
  • Distinga o serviço a partir de uma perspectiva de seu consumidor. O serviço deve ser reconhecível e usável pelo consumidor. As convenções de nomeação devem ser estabelecidas a partir da perspectiva do consumidor do serviço.
  • Distinga os serviços com base nas atividades que são executadas na camada de serviços, e com base nos produtos que estão sendo entregues.
  • Modele os serviços de fora para dentro: definidos pelo seu uso.
  • Distinga diferentes serviços de forma ótima para endereçar diferentes preocupações das partes interessadas.
  • Previna a sobreposição de serviços: serviços diferentes oferecem comportamentos diferentes. A sobreposição do comportamento é um indicador de que o comportamento sobreposto deve ser modelado como um serviço separado.
  • Um serviço é realizado por uma ou mais funções ou processos que representam o comportamento interno da organização. Uma função de negócios pode realizar múltiplos serviços.
  • Sempre modele quais as funções ou processos de negócio realizam um serviço de negócio, e quais processos (no caso de serviços internos) consomem o serviço.
  • Um serviço de negócio interno sempre é usado por uma função ou processo de negócio.
  • Mantenha os serviços coerentes: garanta que comportamento comparável seja oferecido como serviços de uma forma comparável.
  • Use serviços para esconder detalhes de implementação. É suficiente para o consumidor do serviço saber que um certo serviço está sendo oferecido, e como o consumidor pode fazer uso do serviço. O consumidor do serviço não precisa saber como o serviço é realizado.
Se você quer conhecer mais sobre a linguagem ArchiMate, e conversar sobre Arquitetura Corporativa, acesse regularmente este blog e o site da Centus Consultoria

Fonte: ArchiMate Made Pratical, Harmen van der Berg e outros, NAF Working Group "ArchiMate usage"
Comments