Análise de Dados com Painéis de Controle no HoriZZon

postado em 19 de jan. de 2021 09:25 por Centus Consultoria   [ 25 de jan. de 2021 06:20 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente postado por Marc Lankhorst e Rob Kroese*, no blog da BiZZdesign - Adaptação e tradução autorizadas

Em uma postagem anterior sobre comunicação com as partes interessadas, descrevemos várias formas básicas de comunicação sobre a arquitetura, com diagramas, tabelas, mapas de calor, e outras. O que não abordamos naquela postagem é como você pode enriquecer seus modelos de arquitetura (e outros) com dados adicionais e mostrar os resultados em vários painéis de controle. Este é o tópico desta postagem.

Primeiramente, está claro que você precisa pensar sobre as percepções desejadas a partir das suas análises e dados de entrada disponíveis. Em nossa série de postagens sobre técnicas de análise, nós discutimos bastante sobre isso. Por exemplo, se você quer fazer uma análise financeira do seu panorama de aplicativos, você precisa de obter dados de entrada sobre, por exemplo, custos de licença, de manutenção, de suporte, de uso da infraestrutura, de provedores de serviços etc. Usando modelos de arquitetura como espinha dorsal, você pode, então, calcular métricas relevantes para os seus aplicativos e mostrar isso em painéis de controle com vários gráficos, tabelas e outras visualizações.

Existem três formas principais de criar painéis de controle usando a suíte de ferramentas da BiZZdesign.

1. Painéis de controle predefinidos no Enterprise Studio

Você pode criar painéis de controle predefinidos usando a funcionalidade de gerenciamento de portfólios no ambiente de modelagem do Enterprise Studio. Eles podem ser exportados e publicados no Portal HoriZZon, onde eles mantêm a mesma aparência do ambiente de desenvolvimento. Isso foi discutido extensivamente em postagens anteriores, por exemplo, na postagem sobre análises financeiras já mencionado. Portanto, não entraremos em maiores detalhes sobre isso aqui.

2. Visualizações ad-hoc no HoriZZon

Você pode visualizar informações no portal HoriZZon por maio da criação de sobreposições, gráficos e tabelas ad-hoc. Simplesmente clique em um elemento em uma visão para exibir suas propriedades e métricas, e você pode, então, criar mapas de calor, adicionar etiquetas ou mostrar gráficos para estes atributos. Isso é especialmente útil se você quer explorar os dados interativamente, sem ter uma ideia preconcebida sobre o que você vai encontrar e como você vai mostrar isso. Dois exemplo são mostrados abaixo (clique para ampliar). No primeiro, é criado um mapa de calor (visão de cores) sobre uma visão do panorama de aplicativos, mostrando o custo de licenciamento. No segundo, vamos um gráfico de barras com os dez aplicativos mais caros.



 

 

3. Painéis de controle de análise interativa no HoriZZon

Você pode configurar painéis de controle personalizados no HoriZZon usando o Kibana (parte do stack da Elastic). Isso oferece para você extensas capacidades de análise e visualizações altamente interativas. Abaixo você pode ver um exemplo de um painel de controle de portfólio de aplicativos criado desta maneira (clique para ampliar). Simplesmente clicando em uma fatia no gráfico de pizza à esquerda filtra interativamente o painel de controle inteiro para mostrar apenas os elementos com o valor selecionado, neste caso, aplicativos com "risco muito alto". Isso permite que você explore conjuntos de dados grandes e complexos e se concentre facilmente nos elementos significativos. O gráfico de bolhas bastante populado à direita, que mostra todos os aplicativos do panorama com seus valores de negócio e técnico nos eixos, e o seus custos no tamanho das bolhas, é instantaneamente filtrado para um nível mais manejável. E existem muitas outras formas de filtrar estes painéis de controle para focalizar nos seus interesses específicos.



Você também pode usar estes painéis de controle para mostrar gráficos geolocalizados ou séries temporais, como mostrado no painel de controle abaixo, tirado de um caso de uso em um aeroporto. Ele mostra, à esquerda, o número de voos de chegada e de partida de vários países e, à direita, várias outras métricas. Para algumas delas, como satisfação do passageiro e custo operacional, são mostradas as variações ao longo do tempo. Este custo operacional, por outro lado, é parcialmente baseado na análise da arquitetura como mencionado acima, endereçando, em particular, o custo dos aplicativos.


Analisar tendências com este tipo de dados pode ajudar você a prever futuros desenvolvimentos e tomar medidas mitigadoras. Neste caso, por exemplo, o aeroporto deseja atacar os custos crescentes de aplicativos por meio da racionalização do panorama de aplicativos, enquanto ao mesmo tempo em que melhora a satisfação dos passageiros empregando novas formas de interação e usando dados de rastreamento para otimizar o fluxo de passageiros através do aeroporto. Eles querem distinguir entre os passageiros em trânsito, cuja preocupação principal é pegar o próximo voo de conexão, dos passageiros em voos diretos, que têm mais tempo à sua disposição antes do voo e poderiam apreciar mais uma experiência agradável de compras e lazer. Isso poderia, ainda, aumentar as receitas do aeroporto, o que ajudaria também a lidar com os custos operacionais crescentes. A combinação de dados mostrada acima oferece, desta forma, percepções que não poderiam ser obtidas apenas analisando os modelos ou fontes de dados individuais.

Oportunidades futuras

Os exemplos acima apenas arranham a superfície. Adicionar dados aos seus modelos de arquitetura oferece muitas oportunidades interessantes para análise dos vários relacionamentos, a evolução do seu negócio e de sua arquitetura ao longo do tempo, e mesmo o uso de Inteligência Artificial e aprendizado de máquina para descobrir tendências, padrões ou anomalias ocultas.

Mais ainda, estes painéis de controle podem ser compartilhados com todas as partes interessadas relevantes no sua organização, desde os tomadores de decisões estratégicas até aqueles que querem melhorar seus processos de negócio locais. Cada vez mais, as organizações expõem suas percepções para toda a sua força de trabalho, como mostrado em um artigo da Harvard Business Review sobre porque a Inteligência Artificial irá mudar a tomada de decisões desde a direção até a linha de frente. Isto está alinhado com a nossa visão sobre a consumerização da Arquitetura Corporativa, assunto sobre o qual já falamos.

Se você quer saber mais sobre as funcionalidades avançadas do BiZZdesign Enterprise Studio, entre em contato com a Centus Consultoria e solicite uma demonstração personalizada, e fique ligado nas nossas postagens neste blog.

https://links.centus.com.br/fpe

Para saber mais como a Arquitetura Corporativa pode ajudar a sua organização a vencer os desafios de um mercado cada vez mais exigente, baixe o eBook A Prática da Arquitetura Corporativa, um oferecimento da BiZZdesign e Centus Consultoria.


* Mark Lankhorst é Gerente de Consultoria & Evangelista-Chefe de Tecnologia, e Rob Kroese é consultor nas áreas de arquitetura e melhoria de processos da BiZZdesign, empresa líder em ferramentas para modelagem da arquitetura corporativa, representada no Brasil pela Centus Consultoria.