A Casa do Gerenciamento de Portfólios da BiZZdesign

postado em 1 de jun de 2019 04:12 por Antonio Plais   [ 1 de jun de 2019 04:28 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente postado por Marc Lankhorst*, no blog da BiZZdesign - Tradução e adaptação autorizados

Como nós descrevemos em uma postagem anterior, poucas organizações possuem uma forma sistemática e confiável para traduzir uma estratégia de negócio em ação. Isso requer alinhar as várias disciplinas em direção aos mesmos resultados de negócio esperados. Isto é o que está no coração da abordagem da BiZZdesign e da Centus para a mudança do negócio.

Como foi uma vez declarado pelo Gartner (em uma palestra na ITExpo 2013): "Em 2017, toda empresa será uma empresa digital. As capacidades para mudar rapidamente e permanecer ágil serão imperativas." Embora possamos questionar o marco de tempo indicado nessa declaração, não podemos negar que gerenciar seu panorama de TI efetivamente e eficazmente é uma parte primordial da sua capacidade de mudança, na qual o gerenciamento do portfólio de aplicativos (APM-Application Portfólio Management) desempenha um papel muito importante.

Com frequência, as organizações lidam com centenas de aplicativos, e cada um destes aplicativos pode, por sua vez, gerar uma infinidade de projetos e outras iniciativas de mudança. Como você pode, então, decidir onde você deseja racionalizar (Racionalização de Aplicativos) e onde você precisa investir seu orçamento de TI? É necessário uma visão geral estruturada, através do agrupamento destes investimentos em categorias: os portfólios. Deveria haver um investimento balanceado nos vários tipos de projetos (e.g. de longo prazo vs de curto prazo, de alto risco/alto ganho vs baixo risco/baixo ganho) e nas várias categorias de ativos (e.g. aplicativos estáveis de retaguarda vs aplicativos inovadores de atendimento). A tomada de decisões é facilitada pelo agrupamento destes investimentos em portfólios de acordo com estas características, como, por exemplo, portfólios de "inovação", "introdução de novo produto", "manutenção" ou "desativação". Por exemplo, isso ajuda a evitar a "restrição da inovação", onde um orçamento de manutenção sempre crescente acaba por consumir todos os investimentos.

Desta forma, a alta direção pode decidir sobre a alocação de investimentos através de todos os portfólios, ao invés de focar em cada investimento individual. A autoridade para a tomada de decisões sobre as prioridades dentro de cada portfólio pode, então, ser delegada para os níveis abaixo na organização. Com o APM você pode tomar decisões de investimento mais bem informadas e coerentes, melhorar o alinhamento com as metas estratégicas, e monitorar o progresso das mudanças. A Arquitetura Corporativa fornece esta visão holística sobre todas as partes relevantes da empresa, e sobre o seu desenvolvimento através dos vários estágios do processo de transformação. A combinação do APM com a Arquitetura Corporativa oferece informação acionável: além de estabelecer o impacto de uma mudança proposta no panorama de negócio e de TI, uma organização pode agora quantificar o seu impacto e obter uma visão integral através de várias mudanças ao mesmo tempo.

A Casa do Gerenciamento de Portfólios da BiZZdesign

A figura acima resume a visão da Centus e da BiZZdesign sobre o gerenciamento do portfólio de aplicativos, visualizada no formato de uma casa. Os resultados do negócio são, naturalmente, a meta final; o "teto" que precisa ser sustentado. A estratégia fornece a direção para o APM; seus objetivos são derivados diretamente dela. Dados financeiros e de outras fontes são usados como entradas. O desenho dos portfólios consiste do seu conteúdo, das métricas para avaliar isto contra os objetivos, e dos painéis de controle para apresentar os resultados de uma forma amigável. Isso suporta várias as várias análises e decisões de negócio que são consequência disso tudo.

Uma sólida fundação de arquitetura corporativa para os seus portfólios garante a coerência por toda a empresa e uma visão clara sobre as várias dependências envolvidas. Finalmente, a base é formada por uma forte capacidade para o gerenciamento de portfólios, com processos, pessoas capacitadas com as competências necessárias, e um bom suporte de ferramentas para garantir uma operação eficiente e efetiva.

A "Casa do APM" resume estes vários elementos, necessários para realizar um Gerenciamento do Portfólio de Aplicativos de uma forma efetiva. Algumas lições importantes são:
  • O APM vai muito além da racionalização de aplicativos; ele tem a ver com a tomada inteligente de decisões de investimento
  • O APM não diz respeito apenas à TI; ele tem a ver com a estratégia do negócio, com as decisões do negócio, e com os resultados do negócio
  • O APM não é apenas mais uma ferramenta; ele requer uma capacidade robusta, incluindo processos, pessoas e competências
No ambiente de negócios complexo de hoje, a Arquitetura Corporativa é essencial para fornecer as percepções necessárias para tomar as decisões corretas.

Boa sorte com o Gerenciamento do Portfólio de Aplicativos na sua organização!



* Mark Lankhorst é Gerente de Consultoria & Evangelista-Chefe de Tecnologia da BiZZdesign, empresa líder em ferramentas para modelagem da arquitetura corporativa, representada no Brasil pela Centus Consultoria.


 
http://bizzdesign.centus.com.br/biblioteca/ebooks/apm
eBook Gerenciamento do Portfólio de Aplicativos

As organizações são desafiadas por uma crescente necessidade de mudanças em um ambiente em constante pressão. A TI desempenha um papel crucial nesta mudança. Para realizar a necessária transformação digital, as organizações precisam desenvolver e executar uma estratégia de aplicativos que racionalize seu portfólio de sistemas legados e, ao mesmo tempo, prepare para requisitos de negócio e novas tecnologias que estão surgindo rapidamente.  

Solicite sua cópia GRÁTIS aqui