5 Práticas Importantes na Implementação da Transformação Digital

postado em 8 de mar. de 2020 15:36 por Antonio Plais   [ 20 de mar. de 2020 08:12 atualizado‎(s)‎ ]
Originalmente postado por Marc Lankhorst*, no blog da BiZZdesign- Tradução e adaptação autorizados

O uso efetivo de tecnologias digitais para a Transformação Digital é fundamental em um ambiente competitivo. Para ter sucesso, você não precisa de uma estratégia digital separada; você precisa de uma estratégia de negócio para a era digital. Mas a transformação digital é difícil de gerenciar, porque ela requer que você mude várias partes em movimento da sua empresa, algo como redesenhar e reconstruir um avião em pleno voo.

Em um artigo publicado há algum tempo, a McKinsey identificou dez armadilhas que podem descarrilhar as transformações digitais. Eles mencionam fatores tais como o 'medo do desconhecido', 'falta de foco', 'falta de disciplina' e 'se mover muito devagar'. Em nossa experiência através de várias indústrias e com vários clientes diferentes, nós temos visto muitas destas armadilhas com nossos próprios olhos.

Para superar estas armadilhas, no entanto, nós identificamos cinco práticas importantes que ajudarão você e a sua empresa a obter sucesso na sua transformação digital.

1. Definir sua direção estratégica
Como o Gato Risonho diz, em Alice no País das Maravilhas, "Se você não sabe para onde está indo, qualquer estrada vai levá-lo até lá". Muitas organizações sofrem desta falta de direção e de foco. Mas como você pode definir sua estratégia de uma forma que seja fácil para ser compreendida? E como você avalia a sua viabilidade?

Nós, da Centus/BiZZdesign, como você já deve ter imaginado, defendemos o uso de modelos para descrever e analisar suas opções e escolhas estratégicas. Várias técnicas são úteis neste contexto, como o Canvas do Modelo de Negócio (Business Model Canvas, de Osterwalder & Pigneur). Este modelo expressa os principais constituintes do modelo de negócio de uma forma clara e concisa.

Business Model Canvas (adaptado)

Existem vários outros instrumentos de análise úteis, como por exemplo o modelo de Cinco Forças de Porter, o Balanced Scorecard e as análises SWOT e PESTEL, entre outros. Além destas, nós suportamos outras técnicas que incorporam o teste de estresse de modelos de negócio, que identificam as forças e as fraquezas dos seus modelos de negócio propostos, por meio da avaliação deles contra diferentes cenários antes da sua implementação.

Nesta série de postagens nós detalhamos mais o nosso suporte para estas técnicas. O recado mais importante que queremos deixar é que todas estas opções são baseadas em um mundo integrado de modelos, permitindo que você analise as mesmas iniciativas estratégicas a partir de vários pontos de vista de uma forma coerente.

2. Alinhar a organização
Definir uma estratégia coerente para a Transformação Digital é, naturalmente, apenas o primeiro passo. Uma vez que você tenha uma estratégia, você precisa garantir que todos compreendam a nova direção e ajam de acordo. Isto requer fornecer informação clara e útil sobre a estratégia e o seu impacto para todos na organização, de acordo como seu nível adequado de detalhes.

Naturalmente, o gerenciamento de mudanças não é um assunto simples e, como afirmou Peter Drucker, "a Cultura come a Estratégia no café da manhã". De qualquer forma, existem lições comuns que podem ser aprendidas a partir de casos de transformação bem-sucedidos. Uma das lições mais importantes é que, no mundo de hoje, a transparência é fundamental.

Como foi confirmado por uma pesquisa co-organizada pelo The Open Group, a BPTrends, a BiZZdesign, a Universidade de Twente e outros parceiros em 2016, um fator fundamental de inibição da implementação da estratégia é a falta de entendimento em relação à intenção estratégica. Fornecer informação prontamente acessível para os vários grupos na organização (no seu nível apropriado) através de um canal apropriado, como o nosso portal HoriZZon, ajuda a fomentar a compreensão e o alinhamento.

3. Implementar a sua estratégia de uma maneira adaptativa
Os modelos estratégicos mencionados anteriormente podem ser facilmente relacionados com a sua arquitetura corporativa. Isso permite que você avalie o impacto e a viabilidade dos novos modelos de negócio, bem como desenhar a sua implementação no contexto da sua organização atual.

Observe que nós não defendemos uma abordagem clássica em cascata, um 'grande desenho antecipado'. Como nós discutimos no nosso eBook 'A Empresa Adaptativa', a mudança de negócio bem-sucedida não é um caso de implementação rígida de grandes planos. Ela requer a orientação estratégica de cima para baixo, mas também a melhoria colaborativa de baixo para cima. Você precisa reunir pessoas de várias áreas da organização para fornecer o conhecimento e as competências necessárias, e então usar informação de alta qualidade para suportar a tomada de decisão, o desenho e a implementação.

Modelos de arquitetura fornecem um contexto, um escopo e um conjunto de restrições para estas várias equipes, que então terão a autoridade local para criar a sua parte na transformação maior de uma maneira ágil. Da mesma forma, estes modelos ajudam às equipes a coordenar seus esforços, aprender com os outros, evitar a duplicação desnecessária do trabalho e prevenir um conjunto incoerente de 'silos ágeis' ou software 'legado imediato'.

4. Estimular a inovação, a melhoria e o aprendizado locais
Uma estratégia de mudança deliberada, de cima para baixo, é apenas parte da história. Já nos anos 1980, Mintzberg e Waters haviam identificado a estratégia emergente como a outra metade da equação. No entanto, em muitas organizações, é difícil para as equipes locais melhorarem a sua forma de trabalho, criar software melhor ou de outra forma implementar a melhoria de baixo para cima, mesmo que as pessoas no 'chão de fábrica' em geral saibam melhor como as coisas funcionam. Isto acontece principalmente porque eles não têm as percepções necessárias para avaliar os efeitos das mudanças, e, desta forma, não estão autorizados a fazer com que elas aconteçam.

Se você não tem os dados necessários, você precisa subir a hierarquia; somente as gerências seniores têm a autoridade para tomar as decisões com base no seu instinto ao invés dos fatos. Mas, fornecer a informação correta para as pessoas a partir de uma única fonte da verdade facilita delegar a tomada de decisões. Isso, por sua vez, acelera a mudança na sua organização, e você não terá que esperar que as decisões 'escorreguem' desde os níveis superiores.

Uma fonte única da verdade agrega e integra a informação de várias fontes, e apresenta os resultados por meio de painéis de controle facilmente consumíveis, diagramas e outros formatos. Isto é um instrumento importante para suportar as equipes nas suas melhorias locais e para relacionar estas melhorias com a direção estratégia em larga escala da sua empresa. Mais ainda, ela inspira as pessoas a aprender com as outras e fornece uma plataforma para a disseminação de inovações através de sua empresa.

5. Mantenha-se em conformidade com as regulações aplicáveis
Nenhuma transformação digital pode acontecer sem restrições. Agora, mais do que nunca, as organizações devem lidar com uma pressão regulatória crescente tanto de fontes esternas como internas. Algumas destas pressões são específicas de uma indústria, como serviços financeiros e de saúde, enquanto outras são mais genéricas, como a nova regulamentação da LGPD sobre proteção dos dados pessoais (veja nosso webinar e nossas postagens sobre GDPR e LGPD aqui: 1, 2, 3).

É crucial que o risco, a segurança e a conformidade não sejam endereçados depois do fato, mas que sejam tratados como uma influência primordial no desenho. Por exemplo, um modelo de negócio baseado no uso intensivo de dados pessoais pode simplesmente ser invalidado por estas novas regulações de privacidade. Mais ainda, a segurança-por-desenho é agora uma exigência legal, e não mais uma opção de cada empresa.

O ponto comum, aqui, é a necessidade de se ter percepções claras sobre os vários riscos que a empresa corre. E, no contexto da transformação digital, os riscos cibernéticos estão, naturalmente, no topo das preocupações. Na nossa plataforma, nós suportamos vários tipos de análises que ajudam você a avaliar e endereçar tais riscos (para saber mais, acesse esta postagem sobre a análise de riscos, segurança e conformidade).

Nossa plataforma suporta a análise de riscos usando os mesmos modelos que você já criou para desenvolver a sua estratégia, sua arquitetura, seus modelos de dados, processos de negócio e lógica de decisão. Tudo isso alimenta a abordagem integrada necessária no ambiente atual de alta pressão.

Gerencie os riscos para implementar a transformação
Para citar novamente o artigo da McKinsey: "Para construir o valor real, os líderes do negócio precisam assumir riscos. Mas, aqueles bem-sucedidos serão aqueles que entenderem como gerenciar o risco que realmente importa, e como evitar as armadilhas que podem arruinar um esforço de transformação -  tudo isso enquanto levam as suas organizações ao seu limite."





* Mark Lankhorst é Gerente de Consultoria & Evangelista-Chefe de Tecnologia da BiZZdesign, empresa líder em ferramentas para modelagem da arquitetura corporativa, representada no Brasil pela Centus Consultoria.